Passeio BTT no Alentejo

Organização:  OBETA - Paulo Mazzetti

Quando:  20/05/2006

Relatório:

Cros companheiros;


Depois de muitos contratempos, como adiamentos, trocas de dia e desistências de última hora, lá fizemos o desejado passeio de BTT no Alentejo, recordando o saudoso passeio do Inatel “S.Martinho no País das Uvas”.

Foi com este sentimento, que eu, o Paulo e o Carlos Mazzetti, levantámo-nos bem cedo e partimos rumo ao Alentejo profundo.

Depois de deixarmos um carro na Vidigueira, fomos até ao Alvito onde o passeio teve início.

E assim que deixámos a estrada de alcatrão, avançámos por trilhos de que ainda nos lembrávamos muito bem.
Após alguns quilómetros surge um grande azar; a bicicleta do Carlos tem um furo!

Poderia ter sido o fim do nosso passeio, mas o Paulo levava um spray milagroso, que encheu o pneu furado de espuma, e resolveu mais ou menos o problema. Contudo, como a pressão do pneu não era a ideal, e eu era muito mais leve, troquei de bicicleta com o Carlos.

Lá continuámos, mas em breve surgiu mais um azar; para antecipar mais uma vergonhosa "epoca de incendios" todos os trilhos tinham sido "lavrados" recentemente, prepararando-os assim para assumir o papel de corta-fogos.
Como estavam num estado lastimoso para a pratica de BTT, fomos obrigados a abandona-los e a andar a corta-mato, o que foi muito desagradável e tornou a progressão mais lenta.

Passado algum tempo, chegámos a uma cerca de arame que tivemos que passar por cima, e que dava acesso a uma pequena estrada de alcatrão.
Já um pouco cansados, decidimos seguir por aí durante algum tempo, mas em breve tivemos que voltar aos trilhos para conseguirmos chegar à pequena povoação de Albergaria dos Fusos.
A partir daqui terminariam todos os nossos azares, e o passeio passaria a ter uma nova dinamica!

Como a fome apertasse, resolvemos entretanto entrar numa tasca da aldeia, onde comemos umas excelentes tapas (pão, queijinhos secos e rodelas de salpicão), bem acompanhados por umas cervejolas.

Já devidamente reabastecidos, retomámos então o passeio, e desta vez os trilhos estavam impecáveis!
Fomos então até á Barragem do Alvito onde tomámos um banho que nos soube muito bem.


Já depois de secos, passámos a ponte situada sobre o paredão da barragem e voltámos aos caminhos de terra.
Ao fim de algum tempo - e de uma longa subida - chegamos a Vila Alva. Aí tivemos que pedir indicações aos habitantes locais sobre o melhor caminho a seguir.

Entramos então numa etapa do passeio onde tivemos que atravessar várias cancelas delimitadoras de terrenos de herdades. Havia umas que abriam com facilidade, mas outras que tínhamos que saltar, passando as bicicletas primeiro.

Deparávamo-nos nessas ocasiões com muitas vacas e bois, que nos olhavam desconfiados, mas sem problemas.


Por vezes chegávamos a autenticas encruzilhadas com trilhos em todas as direcções, e aqui valia-nos o GPS do Paulo, que ia apontando a direcção certa, ora para Vilar de Frades, onde chegámos primeiro, ou posteriormente para a Vidigueira, termino previsto para a nossa viagem!


Quando ai chegamos finalmente, sentamo-nos num cafezinho para recuperar as forças e deliciarmo-nos com diversos petiscos tais como; camarões, pão com chouriço, rissois, etc. Tudo acompanhado de umas boas imperiais...

Para concluir, diria que apesar de alguns pequenos azares iniciais, tudo correu bem, e o saldo foi mais que positivo.

O tempo esteve muito agradável,os campos encontravam-se ainda verdes e repletos de papoilas e malmequeres, pelo que a paisagem foi sempre magnífica, tendo o dia acabado com um belíssimo pôr-do-sol.

Para quando o regresso a esta bonita região para a realização de mais uns periplos de BTT ?

 

 Saudações

         António Campos

 

 

 

(Texto de António Campos, adaptado por Paulo Mazzetti)