Descida do rio Lima em kayak

Rio Lima

Data: 26 a 29 de Julho de 2009

Organização:    OBETA - Paulo Mazzetti

Local: Vale do rio Lima, Minho


Relatório:

 

Caros amigos,


O plano inicial era descer o rio Lima, começando na ponte que liga Paradomonte a Vilarinho das Quartas, junto ao edifício da velha central hidroeléctrica do Lindoso e terminando a descida em Darque, já às portas de Viana do Castelo.
Um plano ambicioso, que previa um percurso superior a mais de 50 km de extensão, a fazer em 4 etapas distintas, durante 3 dias:

- Etapa 1: De Paradamonte ao paredão da Barragem de Touvedo    Distancia: 11 km
- Etapa 2: Á saída do paredão da barragem até Ponte-da-Barca    Distancia: 7 km
- Etapa 3: De Ponte-da-Barca a Ponte-de-Lima    Distancia: 17 km
- Etapa 4: De Ponte-de-Lima a Darque    Distancia: 22 km

Distancia total do percurso: 57 km

Infelizmente, devido á desistência de alguns dos elementos, por motivos de doença súbita, e ao facto de o acesso ao rio se ter revelado bastante complicado numa das etapas previstas (mais precisamente na etapa 2, que começava no paredão da barragem de Touvedo e terminava em Ponte da Barca), não foi possível concretizar na totalidade o plano inicial.

Mesmo assim, com algumas adaptações e alterações de ultima hora, conseguiu-se levar para a frente muito do que se tinha delineado. E o que foi feito compensou largamente o esforço investido, já que o rio Lima e o seu enquadramento paisagístico constituem sem duvida um espectáculo de grande beleza.


Domingo, 26 de Julho 2009:

Subida do Lima a partir da barragem de Touvedo

Em vez da etapa 1, efectuamos um percurso fechado em que subimos o rio desde a albufeira da barragem de Touvedo (o local previsto de finalização da 1ª etapa) até á velha estação hidroeléctrica do Lindoso (local de inicio da 1ª etapa, onde deveríamos ter começado a descida se tivéssemos seguido o plano inicial).
Neste sítio tivemos a oportunidade de tomar umas óptimas banhocas numa água cristalina cuja baixa temperatura contrastava fortemente com o calor do ar envolvente.
O regresso efectuou-se no mesmo percurso, mas em sentido contrário, ou seja, descendo o rio de novo até à a albufeira da barragem de Touvedo.
Assim, com este percurso fechado, acabamos por quase realizar por duas vezes a 1ª etapa do percurso inicial, já que percorremos uma distância total não inferior a 20 km.

De notar que no decurso deste percurso tivemos a oportunidade de observar umas cascatas de grande beleza, bem como uma ponte medieval que atravessa um pequeno ribeiro afluente do Lima, perto da localidade de Ermelo.


A etapa 2 foi cancelada devido ao facto de o acesso ao rio, junto ao paredão da barragem de Touvedo, se ter revelado de grande dificuldade, tal como já referido anteriormente.


Segunda, 27 de Julho 2009:

Neste dia realizamos a 3ª etapa, a que ligava Ponte da Barca a Ponte de Lima, numa distância total de 17 km, tal como previsto no plano inicial.

Chegada a Ponte de Lima...

Esta foi sem duvida a etapa mais bonita e aventurosa!
Ao longo do percurso, as margens sempre frondosas e verdejantes, enquadradas por serras imponentes constituíam um cenário de inolvidável beleza que nos acompanhava constantemente na nossa progressão, à medida que deslizávamos pelas águas que, ora se apresentavam mansas nas bacias mais largas, ora se revelavam mais irrequietas quando corriam para os vários açudes existentes.

Com excepção de um açude maior, o percurso feito não apresentou dificuldades de maior.
As descidas foram sempre feitas em ritmo de passeio para usufruir da ampla paisagem.

Um dos pontos altos foi sem duvida a chegada a Ponte de Lima, já ao fim da tarde, quando lentamente vímos aproximar no horizonte a silhueta da característica ponte medieval que liga as duas margens do rio naquela localidade.


Terça, 28 de Julho 2009:

Aldeia da Várzea

Em vez da 4ª etapa, que ligaria Ponte de Lima a Darque, optamos por ir conhecer o rio mais a montante, efectuando outro percurso fechado, mas desta vez na albufeira da barragem do Lindoso, a primeira barragem onde o rio é represado ao entrar no nosso pais e local onde desagua o rio Castro Laboreiro, afluente do Lima.
O percurso efectuado iniciou-se em local de acesso ao rio Lima, já muito perto da fronteira.
O objectivo era atravessar a albufeira deste rio para entrar no rio Castro Laboreiro e subir este curso de água até atingir a aldeia da Várzea, o que foi conseguido.
A nossa chegada á aldeia, atiçou a curiosidade da criançada que nos veio receber. Ao fim e ao cabo não é todos os dias que viajantes chegam aquele local, vindos pelo rio, num meio de transporte que não é muito usual naquele local!
Após umas banhocas no rio, junto á aldeia, para afastar o calor, seguiu-se um breve almoço com o farnel que transportávamos connosco nos kayaks. De seguida fizemo-nos de novo ao rio para o regresso, acompanhando de novo o rio Castro-Laboreiro até este desembocar no Lima, na albufeira da barragem do Alto Lindoso.

Este foi um percurso sem duvida mais calmo que o do dia anterior, mas igualmente de grande e ampla beleza, já que as serras portuguesas do Soajo e do Lindoso e a serra espanhola de Santa Eufémia constituem um magnifico e imponente cenário de enquadramento ao espelho de aguas azuis da barragem.

Calculamos que a distancia total percorrida neste circuito na barragem do Alto Lindoso, não tenha sido inferior a 18 km.


Conclusão:

Somando todas as distâncias médias percorridas ao longo dos 3 dias deste périplo, obtemos a bonita soma de 55 km, o que não está longe da distância inicial que nos propúnhamos realizar.
É claro que devemos considerar as várias alterações que tivemos de efectuar sobre o plano inicial, fruto de circunstâncias de ultima hora não previstas.
Mas as quais nos permitiram ultrapassar as dificuldades e manter este evento de pé!
Para no final podermos concluir que, apesar de todos os contratempos, valeu realmente a pena!

 

Saudações radicais

         Paulo Mazzetti