Caminhada: Trilho PR2 Chãos-Alcobertas no P.N. Serra de Aire e Candeeiros


Passeio Data do evento:   Sábado, 5 Fevereiro 2011

Local onde se desenrolou:
Parque Natural da Serra de Aire e Candeeiros

Organização:   Obeta - Paulo Mazzetti

Grau de dificuldade:   Médio

Tipo de Percurso:  Circular, com inicio e fim junto ao centro de tecelagem artesanal na povoação de Chãos

Distância:  17 km aproximadamente

Duração:  5 a 6 horas

Locais de interesse:
Anta neolítica e silos de armazenamento de cereais em Alcobertas. A nascente de Olho de água de Alcobertas. A cumeada da Serra de Candeeiros (487 m). Cisternas artesanais para recolha de água das chuvas. Afloramentos rochosos cársicos. Escarpas. Arquitectura tradicional. Algar do Cruzeiro. Lagoa dos Candeeiros. Moinhos.

Descrição:
Percurso situado no sector sul da serra de Candeeiros, na vertente nascente.
No início começamos por visitar em Alcobertas a anta ligada à capela e a nascente dos Olhos d'Agua.
Seguiremos então de carro para a povoação de Chãos, mais propriamente o centro cultural e de tecelagem, local de início e término deste passeio pedestre.
O percurso iniciou-se pela ascensão ao cume da serra de Candeeiros. O trilho permitiu-nos atravessar toda a cumeada no sentido Sudoeste-Nordeste, passando perto de diversos aerogeradores que constituem o parque eólico da Serra de Candeeiros.
Passeio
A descida da cumeada efectuou-se pelo flanco Nordeste e acompanhando uma linha de escarpas calcárias que delimitam o vale da ribeira do Vale do Barco.
O regresso à povoação de Chãos fez-se por um caminhoto que partindo daquele vale, acompanhou depois outra ribeira; a da Ramalhosa, no vale de Galegos, até atingir a zona da nascente dos Olhos d'Agua, local que tivemos oportunidade de visitar umas horas antes de iniciarmos a caminhada propriamente dita.

Chegados a Chãos tivemos ainda a oportunidade de retemperar forças com alguns petiscos que nos foram servidos na esplanada do restaurante-bar do centro de tecelagem.
Há medida que íamos conversando e o tempo passando, o local foi ficando progressivamente mergulhado na luz mágica e dourada do fim de tarde de um bonito dia de Inverno, o que foi sem duvida uma bonita maneira de terminar mais um evento da Obeta!

Mais informação nos links seguintes:




Todas as fotos publicadas no Picassa.