Caminhadas nos concelho de Gois e Arganil

Relatório de Actividades feito por um dos participantes:

Aconvite dos nossos amigos Nuno e Maria João Relíquias, que puseram á nossa disposição a sua casa em Góis, lá fomos nós (num total de 10 pessoas e uma cadela!) para esta simpática vila, para mais um fim-de-semana de caminhadas, desta vez organizadas pelo nosso amigo João Matos.


1º dia (Sábado, 26 de Outubro 2013)

No Sábado, levantámo-nos bem cedo, e fomos até á Serra do Açor para realizar uma longa caminhada, que o nosso organizador previa (e de facto viria mesmo a acontecer!) que acabasse já de noite.
Como se tratava de um percurso linear foi necessário primeiro ir deixar alguns veículos no ponto de chegada. Regressando de automóvel ao ponto de partida, iniciamos então a caminhada, junto a uma antiga casa de guardas florestais.

Abrigo

Subimos por um trilho que nos levou até á cumeada da serra. Aí encontrámos um estradão de terra, junto a um grande aglomerado de aero-geradores, máquinas que agora polvilham quase todos os pontos altos das nossas serras !
Lá fomos percorrendo o estradão, sempre pela cumeada, num tipo de trilho que apesar de não ser o nosso preferido, oferecia-nos uma paisagem magnífica sobre a própria serra e as suas congéneres vizinhas.

Recordo que um dos momentos altos deste percurso foi a passagem por uma floresta muito bonita na qual abundavam muitos e vistosos cogumelos, daqueles que creio ser do tipo "comestíveis só uma vez" !

A certa altura, quase a meio da caminhada, conseguimos descortinar lá muito em baixo, o nosso destino final; a lindíssima vila do Piódão. Mas apesar de visível ainda teríamos muito caminho a percorrer antes de conseguirmos lá chegar!

Abrigo

Percorridos mais alguns quilómetros, atingimos então o ponto mais alto deste passeio; um local situado a 1.345 metros de altura e onde existia um marco geodésico e um posto de observação, desocupado nesta altura do ano.

A partir deste ponto iniciou-se uma longa descida em direção à aldeia de Chãs d'Égua. No entanto, antes de lá chegarmos, haveríamos de passar ainda por um posto de controlo e reabastecimento de uma prova de Trail running que decorria naquele local.
Como quase todos os atletas participantes já tinha passado naquele controlo e tinha sobrado muita coisa, os organizadores resolveram então presentear-nos com diversas peças de fruta, entre as quais bananas e laranjas, para além de todos os líquidos que precisássemos!   Foi uma surpresa bastante agradável.

Retomando a caminhada, em breve chegávamos a aldeia de Chãs d'Égua, onde aproveitamos para descansar e comer qualquer coisa após o que, nos fizemos de novo ao caminho, desta vez para percorrer trilhos mais estreitos e mais ao nosso gosto, os quais apresentavam muita vegetação.

Abrigo

Um dos pontos altos deste passeio aconteceu nesta altura, quando atingimos um local perto da aldeia de Foz d'Égua, onde existia uma grande ponte pênsil, feita de cordas e tábuas de madeira, suspensa a bastante altura do solo.
A ponte abanava bastante sempre que alguém a atravessava, mas ninguém quis perder o momento "Indiana Jones" que a travessia da mesma proporcionava!

Foi de facto muito divertido caminhar nela, e é claro; choveram as fotos!

De novo nos fizemos ao caminho seguindo por trilhos estreitos que serpenteavam pela montanha. O tempo ia passando e o sol, que já estava muito baixo no horizonte, escondia-se atrás das montanhas.
Quando chegamos ao Piodão já era de noite e tínhamos percorrido mais de 23 Km !

 

2º dia (Domingo, 27 de Outubro 2013)

No Domingo havia quem já estivesse um pouco cansado da caminhada feita no dia anterior, pelo que se optou por um programa mais leve, para que todos pudessem participar.

Decidimos então realizar uma caminhada mais curta (de aproximadamente 9,5 km), feita em percurso circular e não muito longe de Góis, acompanhando sempre o bonito rio Ceira.

Abrigo

Partimos da aldeia de Sandinha, percorrendo trilhos lindíssimos sempre ao lado do rio, mas carregados de vegetação, que por vezes quase nos "engolia"!
A meio do percurso chegamos a uma pequena ponte de pedra sobre o rio. Este local aprazível seria um excelente sítio para tomar umas belas banhocas, se estivesse obviamente mais calor!
Depois um breve descanso retomámos então a caminhada.

Em breve aconteceria um pequeno incidente, que iria deixar o nosso guia á beira de um ataque de nervos:
- Uma pequena parte do grupo, que ia numa posição mais avançada e na qual se incluía infelizmente o autor desta prosa, acabou por se perder do resto dos participantes!
Isto levou á existência de dois grupos separados que percorriam o mesmo percurso. Mas depois de alguma comunicação via telemóveis, tudo se resolveu, e em breve todos os participantes estavam de novo reunidos num único e coeso grupo.

Já quase no final do percurso chegamos a um local onde o rio passava por um túnel artificial. Este túnel foi construído em tempos pelas gentes locais para desviar as águas do Ceira.
Depois de andarmos mais alguns quilómetros chegamos finalmente ao ponto onde a caminhada tinha começado, fechando assim o círculo!

O evento acabaria da melhor maneira, com uma almoçarada num restaurante em Góis !

 

Notas finais:
Foi mais um fim-de-semana muito bem passado, em que o tempo esteve sempre óptimo tendo as caminhadas decorrido muito bem.
O convívio foi excelente, tendo ficado entre os participantes uma grande vontade de voltar a esta vila para realizar mais aventuras !


Saudações Radicais!

 

António Campos
(com pequenas adaptações do texto por P.M.)