Trilho da Lousã a Gois

Percurso:

Âmbito do PercursoPaisagístico / Ecológico / Natural
Entidade que o ImplementouNão é nenhum trilho homolgado
Tipo de PercursoMedia Rota - Linear
Distancia aproximada36 Km
Duração2 dias
Grau de dificuldadeMédio
Local da realizaçãoSerra da Lousã
Acessos A partir de Coimbra: tomar a N17 em direcção à Lousã.
Para quem vem na A1 ou na N1: Sair no nó de Condeixa e tomar a N342 em direcção a Miranda do Corvo e Lousã.
Pontos de Interesse Vila da Lousã e de Gois, aldeias do Talasnal, Aigra Nova e Pena, panoramas observaveis da cumeada da serra da Lousã, percurso ao lado do rio Ceira
Cota Mínima Atingida150 m (Vila da Lousã)
Cota Máxima Atingida1.170 m (Castelo do Trevim)
Altimetria:

Fotos de Locais:
Castelo da Lousã
Casa tipica de Xisto
Aldeia do Talasnal
 
Panorama sobre o castelo do Trevim, á saida do Talasnal
Panorama observado no trilho para o castelo do trevim
O castelo do Trevim ao fundo, o ponto mais alto da serra da Lousã
Aldeia da Pena
Vale da Ribeira do Loureiro
Aldeia de Carcavelos, encostada ao rio Ceira
Rio Ceira á entrada de Gois

Descrição:

O Percurso inicia-se na vila da Lousã. Seguir as setas que indicam a direcção do Castelo.
Aí chegado, tomar o carreiro que passa ao lado da Fabrica de papel e segue para leste na direcção do miradouro da Senhora da Piedade e posteriormente até à central Hidroelectrica da Ermida.
A partir deste ponto tomar o pequeno trilho que inflectindo para sul inicia a ascensão da montanha em direcção à aldeia do Talasnal. Serão aproximadamente 40 minutos até lá chegar.

Alcançada a aldeia demorar algum tempo não só para descansar da subida mas também para observar a arquitectura tradicional serrana.
Verifica-se alías que muitas das casas, outrora abandonadas, têm vindo a ser recuperadas.
A aldeia enche-se de vida ao fim-de-semana quando muitas pessoas viajam da cidade para este local para repousar.
Na aldeia é possível efectuar reabastecimentos já que existem algumas pequenas lojas, um restaurante e um café.
Saindo do Talasnal, continuar para sul seguindo o bom estradão que conduz ás aldeias de Vaqueirinho e Catarredor. Ignorar o 1º desvio á esquerda, que surge aproximadamente 2 km após o Talasnal e que conduz ao Vaqueirinho e sair no 2º desvio, á direita, que segue para a Lomba do Vaqueirinho. Dois quilómetros depois, este caminho entronca noutro estradão. Tomar então a esquerda, seguindo para sul na direcção da Volta da Lomba.

O estradão segue agora pelo alto da serra, descrevendo uma curva muita larga que, da direcção sul, acaba por inflectir para nordeste, na direcção do Castelo do Trevim, o ponto mais alto da serra da Lousã (1170 m aproximadamente).
Pelo caminho passaremos pelo marco geodésico do Candal (1067 m) e pela casa do guarda florestal em Cavalete, local já muito perto do Trevim e onde foi erigido um grande parque eólico.
Daqui para diante será sempre a subir em direcção ao Castelo do Trevim seguindo o estradão que está bem delimitado no terreno.
Atingindo o ponto mais alto parar para descansar e observar o panorama. Em dias de boa visibilidade a visão alcança para Oeste a Figueira da Foz e para Nordeste distingue-se a torre na Serra da Estrela.
A subida para o Trevim fez-se pela vertente Sudoeste. Seguindo na mesma direcção desce-se agora do cume até atingir o estradão que passa por baixo da linha de alta tensão e segue para Nordeste, na direcção do Cabeço de Aigra e da aldeia de Aigra Nova.
Serão aproximadamente 6 km a caminhar até chegar ao ponto em que o caminho se desdobra em três.
- Seguindo o da direita atinge-se 2oo metros mais á frente a povoação quase abandonada de Aigra Velha e 3 km depois, a aldeia da Pena.
- Seguindo o caminho da esquerda, atinge-se a aldeia de Aigra Nova, 1,6 km á frente.
- O caminho em frente, por sua vez, vai entroncar 800 m á frente num outro que liga directamente as povoações de Aigra Nova e Pena.
Se iniciar este passeio logo de manhã, deverá estar a chegar a este local já ao fim da tarde. As imediações destas duas povoações possuem bons locais onde se poderá acampar para passar a noite.
Não há qualquer possibilidade de fazer pernoita em residencial ou pensão já que todas as aldeias por onde o percurso passa não possuem qualquer alojamento desse tipo.
Mas também pode sempre perguntar se na aldeia (Aigra Nova ou Pena) existe alguém disposto a alugar um quarto para passar a noite...
De qualquer modo não deve iniciar esta caminhada sem ir preparado para a eventualidade de ter que acampar. Portanto leve consigo, entre outras coisas, uma pequena tenda e saco-cama.

A 2ª parte do caminho inicia-se na aldeia da Pena. Assim, caso tenha escolhido Aigra Nova para pernoitar, deverá agora fazer o caminho que une estas duas aldeias (3 km aproximadamente).

A partir da Pena atravessar a ponte sobre a ribeira do mesmo nome e seguir o caminho que inicialmente acompanha o curso da ribeira mas depois embrenha-se pela serra adentro até atingir a povoação da Ribeira Cimeira.
A partir deste local tomar a estrada municipal 1378 em direcção ao Esporão. Pouco antes de lá chegar, aquela estrada entronca na Nacional 2.
Entre a Ribeira Cimeira e o Esporão existem vários cafés onde se pode descansar e fazer reabastecimentos.
A partir da aldeia do Esporão, já fora da Nacional 2, seguir o estradão de terra que, sempre a descer, aponta a Nordeste e dirige-se para a pequena aldeia de Carvalhal Miúdo.
O caminho continua depois dessa aldeia, acompanhando sempre o rio Ceira pela margem direita, passando na aldeia de Carcavelos, até atingir a vila de Góis; o ponto final deste périplo.